11 98407-8251 / 11 99927-2484 [email protected]
Principais etapas de uma Reforma

Principais etapas de uma Reforma

Um dos principais pontos a serem observados na hora de reformar um imóvel é a ordem dos serviços, principalmente se você não deseja modificar tudo de uma só vez. Para que a reforma ocorra de forma bem planejada, é necessário seguir algumas etapas para a execução dos serviços. Confira abaixo:

 

Banheiro

A principal razão para começar a reforma pelo banheiro está no fato de que ele normalmente é independente do restante da casa, possuindo revestimentos próprios.⁣

Além disso, o banheiro está mais sujeito a problemas como vazamentos, entupimentos e infiltrações.⁣

⁣A reforma do banheiro deve começar com a demolição, depois a abertura de espaço nos pisos e paredes para as instalações; execução e fechamento das instalações; colocação do chuveiro; das louças e dos móveis

Cozinha

A cozinha deve ser a segunda parada na hora da reforma.⁣

⁣Nesse cômodo os trabalhos também devem começar com as demolições, se necessário, seguindo com as instalações e deixando os móveis por último.⁣

Caso a intenção da reforma seja transformar uma cozinha tradicional em americana, ou apostar em um único revestimento para esse ambiente e a sala de jantar ou de estar, então, pode valer mais a pena encarar a reforma de todos esses cômodos em conjunto. Assim, os trabalhos começam e terminam de uma só vez, fazendo com que a reforma se torne mais ágil e eficiente.⁣

Pisos

 Concluídos os trabalhos no banheiro e na cozinha, o próximo passo é pensar na reforma dos pisos do restante da casa. ⁣⁣

⁣⁣Assim, se você deseja optar por um único tipo de piso para toda a casa, é mais interessante trocar tudo de uma vez. ⁣⁣

⁣⁣Desse modo, será possível garantir melhores descontos e ter a certeza de que está comprando produtos do mesmo lote, para não correr o risco de ter variações nas cores das peças. ⁣⁣

Analise as esquadrias

 Se for necessário incluir as portas e janelas na reforma da casa, é importante que elas sejam substituídas após a troca do piso. Isso porque a altura do novo piso pode influenciar a abertura das portas. ⁣

⁣Assim, se você já tiver trocado algumas delas, poderá ter que refazer o trabalho de instalação. ⁣

Finalize com a pintura e os acabamentos

 A última etapa de uma reforma deve ser a realização dos acabamentos e a pintura das paredes, pois essa será a parte mais visível da obra. Por isso, deve ser feita com cuidado e precisão. ⁣

⁣Enquanto a reforma ainda estiver em andamento, as chances de as paredes ficarem sujas e os acabamentos danificados são grandes. Por isso, é importante esperar a conclusão de todos os trabalhos para só então fechar com chave de ouro.⁣

⁣Dessa forma, é possível investir em uma bela pintura e em acabamentos elegantes.⁣

 Ao escolher os acabamentos para casa, é preciso encontrar um meio termo entre apostar nas tendências e optar por itens duradouros. ⁣

⁣Deixe tendências mais extravagantes para móveis e acessórios que você pode trocar mais facilmente. ⁣

 Para os acabamentos duradouros, prefira itens mais neutros e atemporais.⁣

 

 Lembrando que é de suma importância contratar um profissional especializado para que tudo fique do jeito que você sonhou e planejou!⁣

 Fonte: Anlunas

Japandi: Uma tendência de decoração

Japandi: Uma tendência de decoração

 Japandi é a junção do design japonês com o escandinavo, e vem sendo utilizada para designar o estilo de decoração que une essas duas estéticas.

O Japandi chama atenção por sua delicadeza, elegância e sensação de conforto para quem está no ambiente.

Também valoriza a iluminação natural e pede por comodidade.

Móveis com design simples, paleta de cores neutras e valorização de materiais como a madeira, a palha, o bambu e o cimento.

Suas marcas registradas são: minimalismo, simplicidade de linhas e formas, cores claras, materiais rústicos como madeira e fibras, uso da filosofia Wabi-sabi, que representa a beleza e estética do imperfeito.

 Algumas dicas para adotar o estilo Japandi no seu ambiente:

 Use materiais naturais

O estilo Japandi prioriza o uso de matérias-primas naturais como a madeira, fibras naturais como o bambu, vime, rattan, além da terracota, cerâmica ou mesmo elementos em metal.

Invista em texturas aconchegantes

Procure incluir peças e acessórios com texturas mais macias como crochê, tricô, linho, algodão e demais estofados são muito bem vindos.

Priorize o minimalismo 

Opte por móveis funcionais e versáteis que despertam leveza e tranquilidade para o ambiente

Utilize cores de tinta mais suaves e sóbrias

Além dos tons claros facilmente presentes na decoração escandinava como o branco, bege, rosa pálido e cinza claro, o estilo Japandi oferece uma paleta de cores muito mais diversificada.

A cor branca passa a ser usada em conjunto com tons mais neutros e suaves, mesclados pontualmente com cores mais escuras como ocre, azul, verde e cinza-acastanhado.

Decore o espaço com peças artesanais e móveis antigos

Inclua peças herdadas de um parente ou garimpados em lojas de antiquários.

Deixe-se seduzir pela beleza da imperfeição de cada objeto.

Valorize a entrada de luz natural no ambiente

É relevante que você valorize as janelas de cada cômodo substituindo as cortinas de tecido pesado por tecidos mais leves.

Cultive um cantinho verde em casa

Opte por folhagens e não plantas que possivelmente possam dar flores coloridas.

A espada de São Jorge, peperômia, fícus lyrata, hera, zamioculca, são algumas das espécies de plantas com folhagens verdes.

Fonte: Anlunas

Wabi-sabi: A Tendência da Simplicidade

Wabi-sabi: A Tendência da Simplicidade

Wabi-sabi representa uma abrangente visão de mundo à japonesa, uma abordagem estética centrada no belo que é “imperfeito, impermanente e incompleto.

É um conceito derivado dos ensinamentos budistas.

“Wabi” remete ao que é rústico e “sabi” remonta ao tempo e de como ele traz marcas, que têm sua beleza.

As características estéticas do wabi-sabi incluem assimetria, aspereza (rugosidade ou irregularidade), a simplicidade, a economia, a austeridade, a modéstia, a intimidade e a valorização da integridade ingênua de objetos e processos naturais.

Elementos orgânicos

Utilizar madeira, formatos irregulares, flores, animais, e tudo o que remete ao que há de mais vivo e mutável é regra geral do estilo decorativo.

Elementos rústicos

rusticidade é um forte componente deste estilo oriental de decoração, que privilegia o natural. Peças em estado bruto, como madeira e pedras, com cortes grosseiros e feitos à mão e ricos em imperfeições são qualidades valiosíssimas no modo wabi-sabi de decorar.

Nem sempre as marcas do tempo precisam ser ignoradas ou apagadas.

Tons de terra

No estilo wabi-sabi remeter ao que há de mais orgânico e natural é a proposta principal. Tons terrosos no ambiente que remetam ao solo cria um clima bastante particular e contribui para que você utilize o tom sobre tom.

Além de tons terrosos, a predominância de cores claras no estilo wabi-sabi favorece que os ambientes simulem a pureza de ambientes naturais.

Iluminação

A luz natural e a produzida por fogo, como as velas, precisam ser bem utilizadas no estilo wabi-sabi. Se o ambiente tem janelas, pode deixá-las abertas para a luz entrar e invadir o espaço por onde ela alcançar. A luz produzida por velas, colocadas em pontos estratégicos da casa, como próximo à cama e onde a luz natural não alcança, trará um efeito diferenciado no ambiente.

A cerâmica

A decoração com cerâmica tem uma particularidade incontestável dentro da decoração seguindo o estilo wabi-sabi.

Entender que o modesto e o simples são, por si só, completos — o que os torna únicos.

Fonte: Anlunas

A importância das cores em um projeto

A importância das cores em um projeto

Além do conforto térmico, acústico e lumínico, as cores são fatores que influenciam a sensação que sentimos ao estar num ambiente e tornam-se um forte dispositivo para influenciar o comportamento do usuário.

Muito além de preferências estéticas, o uso de determinadas cores podem trazer diferentes significados que abrangem outros campos como a psicologia ou simbologia. Portanto, é sabido que uma cor não depende apenas da luz e do ambiente, mas também da percepção que temos dela. O alemão Johann Wolfgang Von Goethe, que se aprofundou no estudo da Teoria das Cores, aponta que a identificação dos tons é subjetivo, mas os efeitos são universais. Como exemplo, as cores quentes (vermelho, amarelo e laranja) são mais dinâmicas e causam sensações de conforto e estímulo nas pessoas, já as cores frias (verde, roxo e azul) possuem um efeito mais suave, acalmante e estático.  Sendo assim, criar uma paleta de cores é uma possibilidade de gerar diferentes sensações na percepção do espaço.

 

Fotografia: © Francisco Nogueira
Apartamento Latino Coelho / Manuel Cachão Tojal 
Fotografia: © Francisco Nogueira
 

 

No campo da arquitetura, as possibilidades são infinitas – contrastes entre diferentes materiais e cores, diferentes tendências como tons pastéis ou neon, ou, até mesmo, o acromatismo.  De qualquer modo, as cores conformam um artifício fundamental para intensificar ou diminuir a presença de elementos, facilitar ou complicar a leitura do ambiente como um todo. Por este motivo, selecionamos alguns projetos que são coloridos de diferentes maneiras e destacamos as paletas escolhidas como um modo de exemplificar as diversas sensações que podem ser geradas no espectador.

 

Fotografia: © Hey!Cheese
Apartamento Ne_On / NestSpace Design  l  Fotografia: © Hey!Cheese

Fotografia: © André Scarpa

Casa Praia Vermelha / Nitsche Arquitetos  l  Fotografia: © André Scarpa
 

 

Fotografia: © Nelson Kon
Edifício BOX 298 / Andrade Morettin Arquitetos Associados
Fotografia: © Nelson Kon
 
Fonte: Archdaily

 

4 projetos com soluções inovadoras

4 projetos com soluções inovadoras

Práticas sustentáveis: 4 projetos com soluções inovadoras

A sustentabilidade em arquitetura pode apresentar conceitos e aplicações muito abrangentes e no que diz respeito a adotar práticas no processo de projeto, muitas podem ser as possibilidades. Estratégias sustentáveis são fundamentais para que o desenvolvimento projetual concilie os pilares econômico, ecológico, e sobretudo, do impacto de bem-estar para aqueles que utiizarão o espaço materializado. Pensando nisso, realizamos um compilado de quatro projetos em diferentes tipologias que apropriam-se de métodos inovadores para a concepção de construções que destacam-se por suas práticas sustentáveis. Confira a seguir:

Localizado no litoral brasileiro, este projeto tem por objetivo a materialização de uma casa modelo desenvolvida pela empresa com foco em desenvolvimento imobiliário BIO Empreendimentos juntamente com o escritório PITTA Arquitetura, incentivando os moradores locais a adotarem um estilo de vida mais “verde” e pautado por práticas sustentáveis a partir de simples ações construtivas em suas próprias casas.

Entre as estratégias projetuais adotadas, destaca-se a inserção da arquitetura sobre o terreno com mínima interferência na vegetação existente; elevação da casa do solo, auxiliando no afastamento da umidade e melhorando a circulação do ar; ventilação natural a partir de aberturas colocadas no sentido dos ventos predominantes; proteção contra os intensos raios solares do verão através do uso de beirais; entre outros.

Em matéria de sustentabilidade a casa é um laboratório idealizado pela BIO Empreendimentos para testar e espalhar técnicas e tecnologias aos moradores do bairro. A ideia é desmistificar a noção de que aplicar sustentabilidade é caro ou difícil, compartilhando com as pessoas toda a informação necessária para inspirá-los, dando as ferramentas para eles possam aplicá-las na sua casa ou projeto.

Esta obra recupera dois edifícios existentes junto a uma nova estrutura, que conecta-sevisualmente com o Golden Park. Em termos de sustentabilidade, o edifício adota aquecimento pelo piso, responsável por reduzir a energia em 5-10%; sistemas de recuperação de calor que capturam e utilizam o calor gerado por equipamentos de climatização, reduzindo o consumo de energia por aquecimento; telhado verde que atua como isolamento térmico superior, reduzindo as necessidades de ar-condicionado; vidros de alto-desempenho, reduzindo os níveis de absorção de calor; sistemas de umidificação por osmose reversa; uso de vidro e claraboias para iluminação e ventilação natural; torneiras com sensores nos banheiros, entre outros.

Sustentabilidade foi um aspecto fundamental do desenho, como se trata de um dos dez projetos “Green Building” do Departamento do Meio Ambiente de San Francisco, a CAS visa obter a certificação LEED de platina. Na verdade, o edifício irá consumir entre 30% e 35% a menos de energia do que a requerida pelas regras.

3 – Escola Sustentável / Michael Reynolds

Conciliando a educação tradicional em conjunto ao uso responsável dos recursos, este projeto educacional tem por objetivo incentivar as relações entre estudantes e o papel da Sustentabilidade. Intitulado como o promeiro projeto educacional público sustentável da América Latina foi desenvolvido pelo arquiteto norte americano Michael Reynolds. Com 270 metros quadrados, localizado na porção costeira de Jaureguiberry, foi construído num tempo recorde de apenas sete semanas, a partir de aproximadamente 60% de materiais reciclados, tais como garrafas de plástico e vidro, latas e papelão, e 40% de materiais tradicionais.

Além do uso de materiais reaproveitados, a construção visa obter o máximo de aproveitamento possível dos recursos naturais (energia solar, da água, do vento e da terra). Na ala norte, a arquitetura propricia a produção de alimentos através de uma horta, enquanto que na ala sul, o edifício é fechado com um espesso muro de contenção feito a base de coberturas preenchidas com areia e pedregulho compactado que contém o talude de areia e terra na parte posterior do edifício. Esta estratégia, além de aumentar a inércia térmica, permite cobrir todo o sistema de reserva e coleta de água da chuva proveniente da cobertura. A geração de energia elétrica é realizada através de painéis fotovoltaicos e de um armazenamento central de energia.

4 -Cervejaria Toca do Urso / SuperLimão Studio

Localizada em Ribeirão Preto, esta cervejaria utiliza técnicas vernaculares passivas diversas que auxiliam na criação de um microclima agradável para a região que apresenta climas elevados e pouca ventilação. Paredes de gabião auxiliam na construção do perímetro espacial, que pela propriedade de absorção, garante conforto térmico dentro do salão. Uma vez que não possui fechamentos, trocas de ar constantes são denotadas, ao passo em que há um alto índice de Iluminação natural e, ao mesmo tempo, um bloqueio de radiação que ajuda a diminuir a temperatura interna.

Buscou-se aproveitar o que já existia no entorno, como a copa de duas grandes árvores que sombreiam a área boa parte do dia. O grande salão circular foi enterrado 1,5 metros e a terra retirada do solo foi realocada criando um talude de 3 metros ao redor do salão central, criando uma grande barreira de inércia térmica como nas cavernas. A cobertura circular em formato de asa com clarabóia otimiza a circulação natural e capta vento em qualquer direção, como captadores de vento comuns em construções islâmicas

Fonte: archdaily.com.br